fbpx

MMP capilar

A Microfusão de Medicamentos na Pele (MMP) é uma modalidade de administração de medicamentos para tratamento dermatológico. 

Ele pode ser realizado no couro cabeludo e na  pele, sendo a queda capilar o motivo mais frequente da procura pelo procedimento atualmente.

Com o MMP capilar é possível tratar inúmeros quadros médicos, como os diferentes casos de alopecias e o eflúvio telógeno (queda intensa e aguda dos fios). 

A técnica é uma alternativa eficaz para pacientes que não desejam se submeter a cirurgias. 

No entanto, o tratamento pode ser associado ao procedimento cirúrgico em casos mais graves, uma vez que os procedimentos não se anulam. 

O que é MMP capilar?

A Microfusão de Medicamentos na Pele é uma técnica que associa a aplicações de ativos no couro cabeludo ao microagulhamento. 

O dermatologista utiliza um dispositivo semelhante à uma máquina de tatuagem para administrar medicamentos em velocidade e profundidade controlada.

Além da vantagem dos efeitos causados pelos ativos aplicados, o metabolismo do couro cabeludo do paciente é estimulado e libera substâncias favoráveis para o crescimento de fios de cabelo. 

Em geral, o tratamento é recomendado em casos de perda de cabelo e pode ser realizado por homens e mulheres que se encaixem nas indicações médicas.

Assim, dado o diagnóstico, o médico dermatologista inicia o tratamento de aplicações de medicamentos específicos na região afetada, para desestimular e/ou reverter o quadro. 

O grande diferencial da MMP capilar é a rapidez e eficiência do tratamento, uma vez que os ativos penetram mais profundamente a pele.

Diferente do medicamento ingerido via oral, que perde ativos ao passar por muitas partes do nosso organismo até chegar ao local exato, e dos produtos usados diretamente na pele que dependem de absorção local.

As sessões de MMP capilar podem ser feitas de 15 em 15 dias ou uma vez ao mês, dependendo do grau de queda do paciente. Os primeiros resultados aparecem em torno de três meses após o início do tratamento. 

MMP capilar x microagulhamento

Tanto o MMP capilar quanto o microagulhamento causam microperfurações no couro cabeludo, no entanto não podem ser associadas em um mesmo procedimento. 

No caso da microfusão, é utilizado uma máquina semelhante a de tatuagem, já as técnicas de microagulhamento podem ser realizadas por meio de roller (microagulhamento manual) ou robótico por meio de uma máquina de laser. 

O microagulhamento é um tratamento de estímulo natural, por meio de microtraumatismos na pele, para a produção de colágeno. 

Já a MMP capilar gera as pequenas lesões para facilitar a penetração de ativos na pele. 

A microfusão é um procedimento que utiliza a técnica drug delivery, e além do microagulhamento também pode utilizar laser e radiofrequência no local tratado para inserir os medicamentos. 

Como funciona uma sessão de MMP?

Durante uma sessão de MMP capilar, o dermatologista utiliza um aparelho como uma maquininha de tatuagem que causa microtraumatismos no couro cabelo e ativa a circulação local. 

Os medicamentos são inseridos no couro cabeludo por meio de microagulhas que ficam acopladas à ponteira do equipamento. 

Como o procedimento pode ser usado para várias finalidades, cada uma exigirá medicação específica (vitaminas, aminoácidos, fatores de crescimento e bloqueadores enzimáticos).

A velocidade e profundidade da aplicação são controladas pelo profissional e varia dependendo do caso e gravidade de cada paciente. Porém, sempre deve ser feito de forma leve e sem pressão exagerada. 

Apesar de causar um leve incômodo, a MMP capilar não é uma técnica dolorosa e pode ser feita com anestesia local ( com uso de cremes, pomadas, injeções locais).

O desconforto pode persistir até pouco tempo após a sessão, uma vez que o procedimento causa pequenas lesões no couro cabeludo para injetar o medicamento e aumentar a circulação sanguínea na região.  

As sessões costumam durar entre trinta minutos a uma hora, e a quantidade o tempo de tratamento depende do quadro de cada paciente.

Em todo caso, porém, é necessário um mínimo de seis  aplicações, com intervalo mensal ou quinzenal, para notar melhora da queda.

Quais as vantagens do tratamento?

  • Controle da quantidade de medicamento no organismo
  • Maior garantia de que os ativos irão agir no local desejado
  • Menos efeitos colaterais do que remédios ingeridos via oral
  • Estímulo da pele devido às perfurações 

Indicações e contraindicações da MMP capilar

A MMP capilar é indicado em quadros leves e moderados de queda capilar motivados por questões genéticas, hormonais ou de saúde em geral. 

Pacientes em estágios avançados podem se beneficiar do procedimento associado à outros tratamentos.

No entanto, vale lembrar que a técnica ideal para cada caso só pode ser recomendada após avaliação médica com um profissional habilitado. 

No geral, a MMP capilar não possui contraindicações, mas intolerâncias e/ou alergia à medicamentos devem ser identificadas antes de preparar os ativos que serão injetados, pois o organismo pode fazer a absorção da substância, mesmo que em menor quantidade. 

Se você deseja descobrir o tratamento indicado para o seu caso, agende uma consulta avaliativa. Juntos podemos descobrir qual a melhor solução para o seu quadro clínico.

Abraços,

Dra. Larissa Oliveira 

Abrir Chat
1
Agende uma consulta no Rio de Janeiro
Agende sua consulta no Rio de Janeiro