fbpx

Neste mês, em que é celebrado o Outubro Rosa, o câncer de mama é a pauta mais comentada em todos os meios e mídias. 

O alerta não é sem motivos: entre os tipos de cânceres, o câncer de mama é responsável pelo maior número de mortes entre mulheres. 

Mesmo com as alternativas de tratamento, a prevenção continua sendo a melhor escolha, pois o diagnóstico precoce favorece as chances de cura.

Para alertar sobre a importância de cuidar-se o ano todo, hoje vamos desvendar mitos e verdades sobre o câncer de mama. Vamos juntas! 

Outubro rosa: um mês para lembrar da prevenção o ano inteiro

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o câncer de mama é o tipo responsável pelo maior número de mortes no universo feminino. 

Devido sua gravidade, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce, o movimento Outubro Rosa nasceu na década de 90 e continua presente em nosso calendário de campanhas anuais. 

No entanto, mesmo com toda as informações que vemos repercutir nesta época do ano, o câncer de mama, assim como outros tipos de cânceres, gera muitas dúvidas e desinformação. 

Por isso, fique atentos às afirmações abaixo e descubra mitos e verdades sobre a doença. 

MITO: Apenas mulheres com histórico familiar desenvolvem câncer de mama

Apesar de ser um fator de risco para o seu desenvolvimento possuir um familiar que já teve a doença, o câncer de mama não afeta apenas mulheres que possuem esse histórico familiar. Estima-se que entre os casos diagnosticados apenas 5% a 10% tem componente hereditário

MITO: Só devo realizar o exame de mamografia se sentir um nódulo nos seios

O autoexame é muito importante para a prevenção do câncer de mama e, por isso, é o grande símbolo do Outubro Rosa. No entanto, ele não substitui o acompanhamento médico. Nem sempre o nódulo mamário pode ser sentido por meio do toque e a mamografia pode diagnosticar até os menores nódulos. 

MITO: Câncer de mama só aparece em mulheres mais velhas

Novamente chegamos à outro fator de risco, entretanto, vale lembrar que uma condição não exclui outros grupos de desenvolverem a doença – eles apenas alertam uma probabilidade maior para um grupo determinado. Mulheres mais jovens, assim como homens (que representam 1% dos diagnósticos de câncer de mama) estão suscetíveis ao risco

Entre campanhas e informações, nunca podemos esquecer que o câncer de mama é um dos tipos de tumores mais comuns entre mulheres do mundo inteiro. 

Portanto, não espere o Outubro Rosa para se cuidar: atente-se a qualquer sintoma diferente e faça acompanhamentos médicos anualmente. 

A prevenção é o melhor caminho!

Abrir Chat
1
Agende uma consulta no Rio de Janeiro
Agende sua consulta no Rio de Janeiro